PRODUÇÃO ACADÊMICA

Logo_puc.png

A formação participativa como itinerário metodológico do coordenador pedagógico

Atualizado: 2 de Out de 2018


Por Alcielle dos Santos

A formação dos professores configura-se como tarefa fundamental do coordenador pedagógico (CP). No entanto, a prioridade que estabelecerá entre a gama de atribuições absorvidas como suas pertenças e a forma de organização dos momentos formativos poderão ser bastante diversas. Propõe-se, neste trabalho, identificar o itinerário metodológico do CP, como gestor do processo de formação na escola, em específico no que tange ao planejamento anual da formação dos professores.


Assim, esta pesquisa busca definir como considerar as práticas de sala de aula na construção participativa do plano de formação docente, para que se intervenha nestas mesmas práticas, implementando-se inovações. Além disso, visa analisar em que medida o trabalho em grupo participativo possibilita o desenvolvimento profissional do professor. Foram analisados os processos de construção dos planos de formação da escola, observando como são criados os espaços de participação para os professores, na pauta de formação dos CPs, assim como quais são os interesses e necessidades que têm emanado dos grupos de cada segmento. Também foram observados quais tipos de conhecimentos têm sido contemplados como pauta formativa.


A pesquisa adota a abordagem qualitativa como estudo de intervenção colaborativa e participante. Os sujeitos de pesquisa são os quatro coordenadores pedagógicos do Ensino Fundamental 1, 2 e Médio e seis professores desses segmentos, de escola particular do município de Santos SP. Realizou-se a análise dos planos de formação, dos registros feitos em reuniões pedagógicas e das entrevistas realizadas. Como conceitos e referenciais teóricos que subsidiaram essa análise, privilegiou-se: Beuret (participação), Dubar (identidade e pertença), Freire (investigação temática), Marcelo (formação de professores), Placco e Placco & Souza (o papel do coordenador pedagógico e formação do adulto professor), Tardif (saberes docentes), dentre outros.


A análise dos dados, à luz dos referenciais teóricos, perpassa uma proposta concreta para que o processo de planejamento da formação docente, coordenado pelo CP, seja de fato participativo. Como resultados, observou-se que há entendimentos distintos do conceito de participação entre coordenadores e professores dos segmentos estudados Ensino Fundamental 1, 2 e Médio, e usos de diferentes estratégias, ao se definirem as propostas de formação.


Observou-se que o itinerário metodológico adotado pelos CPs permitiu que o currículo da formação incluísse dificuldades encontradas pelos professores em suas salas de aula e que mudanças e inovações passassem a ser levadas de volta para as mesmas salas de aula. A metodolologia participativa em nível de gestão concertada possibilitou a implementação de um ciclo de autoria que também propiciou desenvolvimento profissional para os professores e CPs, como formadores, pois a gestão participativa da formação tem ensejado ambiente de interação, em um ciclo que inclui todos os sujeitos diante da horizontalização de funções que são mantidas, mas que se colocam em colaboração.


Clique aqui para acessar o PDF.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Qual o lugar da escola frente ao tema drogas?

Por Helena Maria Medeiros Lima e Vera Maria Nigro de Souza Placco A questão das drogas segue como tema de difícil compreensão e manejo no cotidiano escolar, sendo o professor constantemente solicitado